Árvore de Causas

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Árvore de Causas

Olá Caros leitores, tudo bem com vocês?

É sempre bom ter vocês por aqui, e muito importante para nós a troca de idéias que temos, por isso venho te convidar a nos dar sugestões do que vocês querem ver por aqui. Sintam-se à vontade para opinar!

O tema de hoje está muito interessante, por isso, fiquem atentos meus amigos!

Nós que diariamente vivenciamos a área de Segurança no Trabalho, sempre estamos em busca de melhorias e alternativas para a redução do índice de acidentes. Logo, hoje vamos tratar de mais um assunto que muito nos interessa. Um método reativo que pode vir a se tornar preventivo,  denomina árvore de causas. Já conhece?

O método Árvore de Causas, ADC, foi desenvolvido na França no início dos anos 70, e levou um tempo para iniciar sua atuação no Brasil, devido à deficiência de bibliografias traduzidas para o Português.

A árvore de causas nada mais é do que um método que analisa os fatores causais de acidentes do trabalho, com o intuito de prevenção futura levando em consideração um acidente/incidente ocorrido, e as lições aprendidas oriundas desta.

Estudos já realizados mostram que o acidente por envolver fatores diversificados, se torna uma situação complexa de ser analisada. Devido a isso foi necessário criar um método de análise de acidentes que respondesse a dois objetivos principais:

1-  Operacionalizar a intensa captura de dados, para a investigação dos componentes que caracterizam o acidente.

2- Ser possível identificar dentro de situações diversas de trabalho os mesmos fatores de risco, na busca de sua eliminação.

O método proposto parte da montagem de um quadro de antecedentes ao  acidente. E estes são:

- Antecedentes-estado:  condições que são constantes no ambiente de trabalho, por exemplo ausência de ergonomia no local de trabalho, ou um equipamento fabricado sem proteção adequada, entre outros.

- Antecedentes-variações: condições que saem do habitual, ou seja algum tipo de modificação feita durante o andamento do trabalho, qualquer tipo de incidente técnico, etc.

O método sempre busca examinar em primeiro lugar os "antecedentes-variações", é necessário fazer uma análise de alterações ocorridas recentemente da rotina, pois é muito provável que algum elemento tenha sido modificado do habitual para que o acidente ocorresse.

A estrutura do método é baseada em quatro componentes que são:

Todo trabalho é visualizado como um sistema em que cada Indivíduo (I), com o auxílio de um Material (M), realiza uma Tarefa (T) no contexto de um Meio de Trabalho (MT). Esses quatro elementos ou componentes constituem a Atividade.

É importante ressaltar que a Árvore de Causas pode ser desenvolvida em qualquer empresa, desde que:

Exista a colaboração dos funcionários em todos os níveis, e tenha uma equipe de serviço de segurança motivado e equipado.

A seguir temos um quadro representativo para demonstrar uma forma como pode ser disposta as variações para uma interpretação dos fatos e busca de soluções preventivas.

Quadro- Variações dos Componentes

COMPONENTE DA ATIVIDADE

DEFINIÇÃO

EXEMPLOS DE VARIAÇÕES AFETANDO UM COMPONENTE

Indivíduo (I) Designa a pessoa física e psicológica. 1-Substituição de um operário por outro.

2-Operário sentindo-se doente.

Tarefa (T) Ações do indivíduo que produz um bem de forma parcial ou total, ou realiza um serviço. 1-Tarefa não habitual ou imprevista.

2-Omissão de operações elementares durante a execução.

Material (M) Pode ser equipamentos, máquinas, instrumentos, ferramentas, matérias-primas e insumos necessários à tarefa. 1-Máquina nova confiada ao indivíduo.

2- Máquina habitual em pane parcial ou total.

Meio de Trabalho (MT) Trata do quadro de trabalho, o ambiente físico e as relações sociais. 1-Operário em oficina não habitual.

2- Área de circulação obstruída.

3- Névoa.

Passo a Passo da Árvore de Causas:

1- Coletar e organizar os dados, registrando todas as variações de componentes, através de entrevista com vítima e testemunhas, visita a local

2- Classificar as variações por tipo de componente (indivíduo, tarefa, material e meio de trabalho) em cada atividade.

3- Elaborar o diagrama da árvore de causas.

4- Fazer uma interpretação da árvore, buscando todos os meios que possam ter ocorrido.

5- Identificação e escolha de medidas preventivas apropriadas para serem implantadas,  acompanhamento da implantação das medidas escolhidas; avaliação dos resultados das medidas implantadas.

Diagrama da Árvore de Causas

Exemplo: Um funcionário foi escalado de última hora para substituir outro funcionário que não se sentia bem, para realizar uma pintura no telhado da empresa. O funcionário substituto não tinha treinamento específico para utilizar os equipamentos de segurança com propriedade.

Diagrama Árvore de Causas
Diagrama Árvore de Causas

Espero ter auxiliado nesta proposta de análise de acidente e que você possa utilizar deste conhecimento para a investigação dos acidentes.

Até um breve encontro!

Não esqueça de deixar seu comentário!